segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Losurdo: A Revolução Russa e o revisionismo histórico

"Para a ideologia dominante de hoje, a dominação colonial e o banho de sangue da guerra mundial são sinônimos de normalidade, ou mesmo de sanidade psicológica, enquanto que a Revolução de Outubro – oposta a tudo isso – representa uma epidemia, a disseminação da loucura."

Por Domenico Losurdo.

“Duas epidemias assolaram o mundo em 1918. Uma foi a influenza espanhola […] A outra epidemia foi o bolchevismo, que por determinado período pareceu quase tão contagioso quanto e no final das contas se provou tão letal quanto a influenza.”

(Niall Ferguson, The War of the World, pp. 115-5).

Lula lá na Paraíba


O fedor da força bruta

Indestrutível 
Wanderley Guilherme dos Santos

O Golpe de 2016 expulsou a representação popular do circuito legal do poder executivo. A violência continua, exonerando técnicos de governo por suspeitada simpatia pelas teses econômicas e sociais progressistas. Evitar a qualquer custo o retorno legítimo de representantes populares ao Executivo resume a cláusula pétrea do breviário golpista. Atenção para o “evitar a qualquer custo”. Não se trata de recurso estilístico de mau gosto: indica o compromisso prioritário dos reacionários com a manutenção da liderança golpeada no ostracismo. Antes ou depois da vitória eleitoral da oposição popular.

Zélia Duncan: “A lei virou só conveniência e é aplicada de forma implacável contra pretos e pobres”

Um Detalhe

Semana dessas vi uma parte do “Profissão repórter”, de que gosto muito, e já nos primeiros minutos comecei a reparar numa coisa que é infelizmente bem fácil de se constatar. Um programa sobre vítimas de violência nas emergências de hospitais públicos. Muitos entrando já cobertos por um lençol, por onde, lá na ponta da maca, só se viam os pés. Negros. Todos que vi entrando, com ou sem vida, sangrando, chorando, assustados, calados, falantes. Todas as famílias esperando notícias, todas as mães aflitas, todos eram brasileiros negros. Nosso país é racista desde sempre, não posso e não quero me iludir. Fiquei impactada com aquelas imagens e indignada por ninguém ressaltar a constatação óbvia. Ficou como se fosse uma sinistra coincidência. Um detalhe? Sabemos que há uma violência sistemática contra o jovem negro no Brasil. E, claro, uma violência generalizada nos nossos dias. O bebê Arthur que o diga; encurralado por uma bala perdida no ventre da mãe, não resiste e morre. Uma bala de fuzil. Perdida.

A estruturalidade em Marx e o mito da ‘crítica ao burguês malvado’

Sádico maníaco ?
nairuslobatev

Algo bastante comum nas críticas pejorativas a teoria de Karl Marx, seria a ideia de que este visualizaria, em sua essência, uma problemática moral e individual. Em outras palavras, que Marx acreditaria que os problemas apontados por ele no sistema capitalista, se dariam pela índole das pessoas – nas quais o capitalista seria um indivíduo inerentemente malvado que explora seus trabalhadores por ser praticamente um sádico maníaco, ou que toda a sua teoria e crítica contra o capitalismo se baseiam em uma mera visão moral pueril e inocente, de que há um ‘patrão malvadão’. Esquecem, no entanto, que a perspectiva de Marx é estrutural – e radicalmente oposta a uma crítica individual e moralizante.


domingo, 20 de agosto de 2017

Que briga é aquela que tem acolá


Brasil, o paraíso dos rentistas

Ana Araujo e José Martins

Não re­frescou nada a re­cente re­dução para 9,5% ao ano da taxa bá­sica no­minal de juros da eco­nomia bra­si­leira, a po­pular SELIC. A taxa no­minal de juros pode até cair um pouco, mas sua taxa real (taxa no­minal menos in­flação pro­je­tada para os pró­ximos 12 meses) não sai do lugar.


O cré­dito não au­mentou nem um tostão para o con­sumo in­di­vi­dual e nem para o con­sumo das em­presas (in­ves­ti­mento). Sem o aque­ci­mento dessas duas es­tra­té­gicas va­riá­veis an­ti­cí­clicas não ha­verá chance de re­to­mada do em­prego e da pro­dução. A eco­nomia bra­si­leira vai con­ti­nuar no bu­raco. Para sair do su­foco atual seria ne­ces­sário agir emer­gen­ci­al­mente no au­mento dos gastos pú­blicos em in­ves­ti­mento (grandes obras de in­fra­es­tru­tura) e re­dução rá­pida da taxa real de juros da eco­nomia.

Sistema S viola a Constituição e desobedece o Tribunal de Contas da União

R$ 30 bilhões em 2017
Ivo Lima

Sistema S desobedece o Tribunal de Contas da União

As onze instituições do Sistema S, entre elas o Senai, Senac, Sesc e Sesi, violam a Constituição, desobedecem recomendações do Tribunal de Contas da União (TCU) e contribuem para aumentar a carga de impostos no país. Uma síntese dos problemas foi publicada no Relatório de Acompanhamento Fiscal do Instituto Fiscal Independente do Senado neste mês de agosto. O IFI fez um box à parte para tratar do “Sistema S e a Questão Fiscal”.

De acordo com o relatório, as contribuições do patronato às instituições acabam incluídas no custo dos produtos que chegam para os consumidores, cidadãos que são duplamente prejudicados devido ao uso de dinheiro do contribuinte. Por receberem recursos públicos, as instituições teriam de prestar contas à sociedade sobre o uso dessas verbas, que acabam onerando o preço dos produtos. Ao fazer um longo relatório depois de realizar auditoria, o TCU encontrou “vários problemas” e fez recomendações para que a situação fosse regularizada.

Lula atravessando o Mar Vermelho, segundo as redes sociais

Tal qual o profeta Moisés, o ex-presidente Lula foi flagrado atravessando o Mar Vermelho.


A narrativa vem das redes sociais: “Um homem atravessando Mar Vermelho para libertar seu povo da escravidão!”.


A foto é do craque Ricardo Stuckert, do Instituto Lula.

Face

Fanático não quer fazer valer um ideal, e sim purificar o mundo a ferro e fogo

Maira Medes

São apenas 136 páginas, o que pode fazer com que o pequeno volume passe despercebido, em meio à gôndola da livraria, ao olhar mais desatento. Colocada na prateleira, ladeada por outros lançamentos, a publicação também chama pouca atenção devido à lombada fina, de apenas um centímetro de largura.

A despeito disso, trata-se de um grande livro. Grande e necessário, deve-se realçar.

No momento em que assistimos, estarrecidos, às cenas de ódio racial em Charlottesville; no instante em que testemunhamos, envergonhados, um imigrante sírio vendedor de esfirras ser hostilizado por um brasileiro armado de pau em Copacabana; em um tempo no qual se vociferam, sem pudores, agressões e preconceitos nas redes sociais e nas caixas de comentários da internet; a leitura de "Mais de uma Luz: Fanatismo, Fé e Convivência no Século 21", de Amós Oz, torna-se imprescindível.

sábado, 19 de agosto de 2017

O pau comeu na casa de noca ( Encontro PSB Mulher)


Estela e Sandra Marrocos batem boca em evento do PSB; deputada foi agredida

Diretoria do PSB Mulher seria eleita na ocasião

O encontro do PSB Mulher, iniciado nesta sexta-feira (18), em hotel da orla de João Pessoa, quase terminou em uma pancadaria generalizada.

Após bate-boca entre a deputada estadual Estela Bezerra e a vereadora Sandra Marrocos, houve empurra-empurra e Estela chegou a ser agredida fisicamente por apoiadores de Sandra.

Na ocasião, a diretoria do PSB Mulher seria eleita, mas o pleito foi suspenso por conta do tumulto que foi parar na Delegacia de Tambaú.


Parte da Justiça Federal e do MPF exorbita em suas prerrogativas e já demonstra agressão desmedida a Lula

O que andam bebendo nossos juristas ?
Parece surreal, mas não é; repetem-se absurdos jurídicos sem se acreditar, mesmo assim se multiplicam numa concepção ideológico - jurídica sem igual por parte de setores da Justiça Federal e do Ministério Público Federal na direção do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como perseguição sistemática - algo inconcebível numa sociedade de base jurídica republicana.

Bensaïd: As questões de Outubro

Complô, prematura,burocracia
Daniel Bensaïd passa a limpo o legado da Revolução Russa ao longo de três questões cruciais de historiografia política.

Por Daniel Bensaïd.

Antes mesmo de entrar na massa dos novos documentos acessíveis pela abertura dos arquivos soviéticos (que permitirão, indubitavelmente, novas luzes e uma renovação das controvérsias), as discussão vem tropeçar no pensamento pronto da ideologia dominante, bem ilustrada pela recente homenagem necrológica consensual à François Furet. Nesses tempos de contra-reforma e de reação, não surpreende que os nomes de Lênin e Trótski se tornem tão impronunciáveis quanto foram aqueles de Robespierre e Saint Just sob a Restauração.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Em meio à crise, cortes no Bolsa Família e Renda Cidadã afetam famílias brasileiras

Renda é usada, por exemplo, para compra de alimentos e pagamento do aluguel: "não é muito, mas ajuda", diz diarista.

Leonilda Dantas, beneficiária dos programas Bolsa Família e Renda Cidadã. Foto: Juliana Gonçalves/Brasil de Fato

Os R$ 204 que dona Leonilda Dantas recebia do Estado garantiam o mínimo para o sustento da sua família. "Não é muito, mas ajuda", diz. Sem emprego fixo, a diarista, de 42 anos, usava o benefício de programas sociais para comprar alimentos.

Belluzzo: O país da Casa-grande

Luiz Gonzaga Belluzzo

Entre a perplexidade e o desencanto, prossegue o espetáculo da mudança sem esperança

A democracia dos patrícios revela a enorme capacidade de sobrevivência dos poderes dos donos

Desde a transição democrática de meados dos anos 80, o povo brasileiro contempla, entre perplexo e cada vez mais desencantado, o espetáculo da mudança sem esperança ou, como dizia um crítico de Adorno, “a realização das esperanças do passado”.

Assim os senhores da terra concebem o progresso. As eleições diretas sucumbiram diante do Colégio Eleitoral. A nau de Ulysses encalhou nas praias do transformismo e os náufragos do regime militar saltaram alegremente para bordo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...